Em ação do MP, prefeito de Caldas Novas é preso na investigação por fraude e lavagem de dinheiro

32 mandatos de busca e apreensão são cumpridos, além de 9 de prisão

Por Redação 13/09/2018 - 11:01 hs
Foto: MP-GO/Divulgação

Nesta quinta, 13, o prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal (PP), foi preso no Residencial Saint Paul, prédio em que mora com a família, na operação Negociata acionada pelo Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO).

O MP investiga fraudes em licitação, pagamentos de propina e lavagem de dinheiro na Prefeitura de Caldas. A operação contou com uma parceria das polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, além do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado e pelo Centro de Inteligência do MP-GO.

32 mandatos de busca e apreensão são cumpridos, além de 9 de prisão envolvendo as cidades de Goiânia, Caldas Novas, Morrinhos, Itumbiara, Aruanã, Aparecida de Goiânia e Santa Vitória, em Minas Gerais.

Os advogados da administração do prefeito estão no Ministério Público e ainda não se pronunciaram sobre o caso.

Já teve problemas







O prefeito Evandro Magal chegou a ser afastado do cargo no dia 17 de janeiro deste ano, condenado por pagar anúncios em um jornal em período pré-eleitoral. Mesmo assim, conseguiu uma liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e voltou ao posto no dia 18 de janeiro, um dia depois do acontecido. O mesmo ocorreu com seu vice, Fernando de Oliveira Resende (PPS).