Vereadores defendem processo que destina área para atrair novas indústrias em Anápolis

Leilão é de 30% da área da Plataforma Logística Multimodal

Por Redação 11/09/2018 - 13:38 hs
Foto: Ismael Vieira

O leilão de 30% da área da Plataforma Logística Multimodal, em Anápolis, para viabilizar a ampliação do Distrito Agroindustrial da cidade (Daia) e a implantação de novas indústrias no município, foi defendido por vários vereadores na tribuna, durante Sessão Ordinária da Câmara de Anápolis, realizada nesta terça, 11. 

O assunto foi introduzido no debate pelo presidente da Casa, vereador Amilton Filho (SD). Segundo ele, há uma longa fila de empresas que querem se instalar em Anápolis mas, entretanto, não há área disponível. “Esta é uma reivindicação, um clamor da cidade. O Governo do Estado busca uma alternativa para dar resposta à sociedade anapolina. É uma atitude responsável”, disse.

Ao mesmo tempo, o vereador rechaçou as críticas feitas a este processo e acredita que ocorrem em função do período eleitoral. ‘‘Temos que refletir no sentido de entender qual o melhor caminho: ficar de braços cruzados ou buscar solução?”, disse.

Segundo ele, trata-se de uma área de 1,9 milhão de metros quadrados, aproximadamente 39 alqueires, e que a liberação da área foi pedido de empresários de Anápolis para atender a grande demanda de espaços na cidade e ajudar a acelerar a concretização de projetos previstos para o pleno funcionamento da Plataforma.

Amilton Filho explicou que esta área faz parte de um conjunto de 42 áreas que tiveram a venda aprovada pela Assembleia Legislativa em 2012, e que destas, 12 foram leiloadas em 2014. “As críticas que eventualmente ocorrem são injustas, partem de quem não quer soluções. Não adianta apontar erros e não dar solução ao problema”, ressaltou. 

O presidente da Câmara lembrou que a destinação desta área é uma solicitação do Fórum Empresarial e que este assunto esteve sempre na pauta de discussões da Câmara de Anápolis. O Pastor Elias Ferreira (PSDB) ressalta que o pedido de liberação da área parte realmente dos empresários anapolinos, da Acia e do Fórum Empresarial.

Já Pedro Mariano (PRP) lembra que a Acia tem crédito junto à sociedade e que o secretário e vereador Leandro Ribeiro é quem está à frente deste processo, com intuito de melhorar a economia de Anápolis e o desenvolvimento do estado. João Feitosa (PTB) e Lélio Alvarenga (PSC) também defenderam a liberação da área.

Contra

O leilão acontece em fim de governo, e isto tem causado controversas no meio empresarial e político do estado. O senador Ronaldo Caiado, com outro posicionamento, pretende acionar a justiça para impedir que o leilão seja efetivado sem a devida análise do projeto e mensuração do benefício real para a região. “A venda é um crime contra a economia do estado e do município, já que foi preparada a toque de caixa, sem uma avaliação detalhada do projeto e apenas com o objetivo de arrecadar recursos” disse o senador do DEM.

Edson Tavares, empresário e consultor na área de logística, chama atenção para o fato de Ronaldo Caiado liderar com folga a disputa pelo governo e já ter sinalizado que cancelaria a operação caso eleito. Isso geraria um grande imbróglio entre o Estado e o comprador que resultaria em demanda judicial, atrasando ainda mais a consolidação da Plataforma Logística. Leia mais!